Adutora rompida já foi reparada e garante abastecimento do centro da cidade PDF Imprimir E-mail
Seg, 30 de Julho de 2012 13:14

foto

O rompimento de uma adutora, que abastece o centro de Santa Adélia, mobilizou a equipe municipal no reparo do problema. Trata-se de um importante braço de abastecimento de água da cidade, num dos pontos mais distantes. Segundo o coordenador geral da Prefeitura, Paulo Bergamasco, o abastecimento nem chegou a ser interrompido. "Enquanto fazíamos o reparo, o poço que existe no centro da cidade conseguiu garantir o abastecimento para os moradores da região central", explicou.

O problema foi detectado no final da semana passada pela equipe que trabalha no setor de água e esgoto e corrigido no mesmo dia. "Fazemos vigilância constante e notamos que o reservatório que fica na Praça Adhemar de Barros não enchia completamente apesar das bombas estarem trabalhando a todo vapor", apontou Paulo.

O jeito foi procurar o que se imaginava ser um vazamento na adutora que traz a água do poço que fica a quatro quilômetros de distância. "Fizemos uma varredura em toda a extensão da adutora, que já é antiga e tem doze polegadas de diâmetro, passa sob o leito do rio São Domingos e vários pontos de difícil acesso", explicou o coordenador.

Foi necessário usar uma retroescavadeira hidráulica para realizar o reparo, pois o ponto de rompimento ficava numa área alagada e a pelo menos cinco metros de profundidade.

Paulo explicou ainda que o poço em questão é um dos mais importantes para o abastecimento de Santa Adélia, apesar de estar numa área distante, requerer atenção especial por causa do trajeto que a água percorre até o reservatório que está 190 metros acima de seu nível. "Para levar a água até este reservatório, num local mais alto, registramos um consumo maior de energia elétrica, mas não podemos abrir mão deste poço por ser o mais importante da cidade. Sua produtividade é constante, com poucas e pequenas alterações em épocas de estiagem, mas sempre nos dando segurança quanto à oferta de água para a população", afirmou.