Obras implantam galerias para água das chuvas PDF Imprimir E-mail
Ter, 05 de Fevereiro de 2013 14:30

Galerias

Três ruas de Santa Adélia estão recebendo galerias para captação da água das chuvas, chamadas de ‘galerias pluviais’.

A obra é realizada com recursos repassados pela Secretaria Estadual do Planejamento, através de emenda no valor de R$ 200 mil do deputado federal Rodrigo Garcia (Democratas).
As ruas beneficiadas são Rodrigues Alves, entre as ruas Dilter Guerzoni e Bernardino de Campos; Sebastião Rodrigues, entre as ruas Alonso Segura Fernandes e Cristino P. Pereira; e Calixto Bedran, entre a rua Gattaz Nacif Mugayar e a avenida da Saudade.

Todos os trechos deverão receber tubos de concreto armado, caixas de passagem, bocas de lobo e caixas de visita para captar e destinar a água das chuvas e impedir os alagamentos. "Os materiais usados na execução da obra são de primeira qualidade e a mão de obra é especializada, tudo dentro das normas determinadas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)", explicam os responsáveis pela obra.

A colocação destas galerias faz parte dos investimentos que o prefeito Marcelo Hercolin (Democratas) realiza no município dentro do chamado programa antienchente. "Em 2010 fomos surpreendidos por grandes danos causados pelas chuvas em nossa cidade. Desde então trabalhamos pela recuperação dos estragos, o que conseguimos até o ano passado, e agora estamos realizando intervenções em vários pontos da cidade que vão acabar, definitivamente, com os riscos de enchentes e erosões. Todo o trabalho vem sendo realizado com critério e qualidade nos serviços, assim temos obras que vão durar muitos anos e não até a próxima chuva", avalia o prefeito Marcelo que já aplicou mais de R$ 2 milhões na recuperação dos estragos registrados em 2010.

Para ele, é importante que a cidade possa ser preparada para o desenvolvimento e isto significa fazer investimentos que não serão aparentes, mas que trarão segurança para quem mora em Santa Adélia. "É raro o gestor público que faça investimentos pesados na infraestrutura que não aparece, como é o caso das obras que fazemos para prevenir enchentes. Mas são medidas necessárias para garantir que nossa cidade vai crescer sem temer alagamentos e desmoronamentos, como ocorre na maior parte das cidades brasileiras", avaliou.

A expectativa é que todas as galerias fiquem prontas até meados de fevereiro.