BannerMunicipioVerdeAzul

Home Meio-Ambiente População é conclamada a evitar desperdício de água
Resolução conselho municipal de meio ambiente Guia de Arborização Urbana
População é conclamada a evitar desperdício de água PDF Imprimir E-mail
Seg, 10 de Setembro de 2018 19:09

Patrícia Cavalini

Economizar, reduzir, diminuir, poupar. Estes são alguns dos verbos mais praticados na administração de Santa Adélia, especialmente quando o assunto é a água. A gestão do prefeito Guilherme Colombo da Silva aponta a necessidade de economizar água, reduzir o consumo nas casas, diminuir o desperdício, poupar este bem tão precioso, pois estamos em época de chuvas escassas, em que o nível dos reservatórios caem consideravelmente.

Guilherme aponta que para o bem-estar atual e também pensando nas futuras gerações é preciso tomar algumas medidas, e elas começam com a mudança de hábitos. “Estamos em constante campanha para a redução do consumo de água e queremos que os moradores de Santa Adélia adotem este hábito saudável de economizar e só usar a água, que é tratada antes de chegar às suas casas – para o que for necessário, com responsabilidade”, aponta.

O prefeito lembra que em Santa Adélia existe lei que visa controlar o consumo de água, evitar o desperdício e possível racionamento. Em caso de risco de desabastecimento total ou parcial de água no município, poderá ser decretado Estado de Alerta de Desabastecimento e a fiscalização do uso da água será intensificada em toda a cidade. Mas a lei opta por ações mais preventivas. “Independente da existência do Estado de Alerta, fica o Poder Público, por meio de seu setor competente, autorizado a determinar fiscalização em toda a cidade com o objetivo de constatar a ocorrência de desperdícios de água distribuída”, diz o parágrafo único da lei.

A fiscalização vai levar em conta alguns atos que são considerados desperdício aos olhos da lei aprovada. “Lavar calçadas, ruas ou quintais com uso contínuo de água; manter vazamentos de água; manter torneiras, canos, conexões, válvulas, caixas d ́água e reservatórios, tubos ou mangueiras eliminando água continuamente; lavagem de veículos com uso contínuo de água, excetuando-se os casos de lava-cars e postos de abastecimento, que deverão possuir sistema visando à redução do consumo de água ou a reutilização desta, a ser verificada quando do seu licenciamento; preencher piscina; outros casos regulamentados por portaria ou decreto”.

Se a fiscalização constatar uma destas irregularidades, o infrator estará sujeito à advertência, através de notificação. “Se a notificação não for cumprida, será aplicada multa no valor de R$ 272,50. O valor dobrará em caso de reincidência”, esclarece o prefeito.

O serviço de água da cidade também vai contar com o apoio da população para denunciar os casos de desperdício. “Qualquer pessoa que constatar o descumprimento da lei, poderá denunciar o fato ao Poder Publico, pessoalmente ou através de ligação telefônica, sem necessidade de identificação”, diz um dos artigos da lei.

“O ideal seria que todos tivessem a consciência da importância que é a água. Somos privilegiados por termos este bem tão precioso em nossas casas, mas precisamos prevenir para que não falte futuramente”, finalizou prefeito.