Home Saúde Psiquiatra integra Programa Municipal de Saúde Mental
Psiquiatra integra Programa Municipal de Saúde Mental PDF Imprimir E-mail
Seg, 13 de Novembro de 2017 12:00


Gislaine Sampaio

A Prefeitura de Santa Adélia, através da Secretaria Municipal de Saúde, anunciou a contratação da médica psiquiatra Ana Laís Casteqrini, que se integra à equipe do Programa Municipal de Saúde Mental.

Fabrício Franco, secretário municipal de Saúde, explica que a médica atenderá uma vez por mês na Unidade Básica de Saúde Dr. Benedito de Oliveira Bicudo e deverá dar conta da demanda reprimida por atendimento psiquiátrico em cerca de três meses.

“Hoje temos pelo menos 60 pacientes que precisam do atendimento psiquiátrico e que estão na fila esperando vaga no referenciamento que fazemos para Catanduva. Como só temos quatro vagas por mês, sem a doutora Ana Laís em Santa Adélia, demoraria mais de um ano para darmos conta destes pacientes”, disse Fabrício ao falar sobre a contratação da médica e a importância que este atendimento tem para o município.

O prefeito Guilherme Colombo da Silva lembrou ainda a política que o município tem para a prevenção na Saúde. “Nosso Programa Municipal de Saúde Mental, que também conta com uma psicóloga e assistente social, tem por objetivo a prevenção e o atendimento aos pacientes que são encaminhados após passar por consulta no que chamamos de Atenção Básica. É a mesma prevenção que temos para outras doenças, como as do coração, por exemplo”, apontou o prefeito.

Segundo Fabrício, existe uma grande demanda de pacientes com doenças mentais e dependência química que também estão incluídos neste público-alvo do Programa Municipal de Saúde Mental. “Boa parte deles tem necessidade de internação compulsória, por exemplo, e, a partir de agora, terão um atendimento mais rápido”.

Fabrício aponta, no entanto, que o município continuará usando as quatro vagas que tem para enviar, todo mês, pacientes para tratamento no atendimento especializado em Catanduva. “Não podemos abrir mão de nada, pois temos que garantir o atendimento à população”, apontou.

Apesar de ser uma obrigação do Estado, pois ao município cabe a atenção básica, Guilherme afirma que a administração municipal não pode se omitir em questões onde o Estado não consegue atender. “É um empenho e um esforço grandes para oferecermos o especialista no município, mas não podemos nos omitir diante da necessidade que existe, por isso estamos felizes com esta contratação, uma vez que vai atender quem está esperando por este tratamento e vai nos ajudar a prevenir – ou iniciar o tratamento mais precocemente – em pacientes com doenças mentais ou dependência química”, finalizou o prefeito.