Home Social Santa Adélia desenvolve trabalho de apoio a pessoas em situação de rua
Santa Adélia desenvolve trabalho de apoio a pessoas em situação de rua PDF Imprimir E-mail
Seg, 22 de Julho de 2019 11:21

Patrícia Cavalini

A Prefeitura de Santa Adélia está sempre atenta e prestando o atendimento necessário às pessoas que estão em situação de rua, isto é, que por algum motivo, deixam suas famílias, casas e passam a viver em locais públicos, como praças e ruas do município.

Em matéria publicada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) até 2015 o Brasil contava com mais de 100 mil pessoas em situação de rua. Das 101.854 pessoas nessas condições, 40,1% estavam em municípios com mais de 900 mil habitantes e 77,02% habitavam municípios com mais de 100 mil pessoas. Já nos municípios menores, com até 10 mil habitantes, a porcentagem era bem menor: apenas 6,63%.

Como citado, os municípios de pequeno porte possuem uma pequena parcela de população de rua, porém essa é uma realidade e as gestões municipais devem enfrentar a problemática pautada nas legislações municipais, estaduais e federais atuando de forma intersetorial.

Em Santa Adélia, o principal fator que leva as pessoas a estar em situação de rua é a dependência química. Em levantamento feito pela Política de Assistência Social, cerca de dez pessoas permanece pelo menos um dos períodos do dia nas ruas, entre elas, apenas quatro não possuem familiares e residência no município. Esse número pode variar diariamente, pois esse público se muda constantemente por condições de vulnerabilidade extrema.

No sentido de atuar para a superação dessas vulnerabilidades, a Assistência Social atua dentro do que rege a Tipificação Nacional da Assistência Social para a Proteção Social de Alta Complexidade. De acordo com a tipificação, essas pessoas estão em situação de risco, portanto, necessitam de auxílio para restituir os vínculos comunitários e familiares, quando este for possível.

Buscando oferecer condições de existência digna, o município de Santa Adélia oferece os serviços de aluguel social, energia elétrica, água, alimentação, medicamentos, entre outros serviços essenciais que são ofertados na modalidade de benefícios emergenciais. Social e Saúde, em diálogo com o Executivo, atendem essa população dentro dos seus limites de aceitação.

Durante a atual gestão, o objetivo no atendimento desse público tem sido oferecer apoio na reabilitação das condições de dependência química para que, após a saída de clínica para tratamento de dependentes, o município ofereça residência e demais atendimentos para que os indivíduos superem as situações de risco em que vivem. Aos que não estão em situação de rua por conta do vício por drogas lícitas ou ilícitas é oferecido ajuda para encontrar familiares, quando assim solicitado, e reestabelecer o contato com os entes.

Um exemplo dessa atuação foi a força tarefa realizada para encaminhar quatro pessoas em situação de rua para clínicas de reabilitação. Nos dias 03 e 04 de julho, a Assistência Social, com apoio da Polícia Civil e seguranças conseguiram, por meio de sensibilização verbal, enviar esses indivíduos para clínicas de atendimento e acolhimento.

"Uma das vias de encaminhamento para esse tipo de serviço é por meio da Diretoria Regional de Saúde (DRS), entretanto, como esse mecanismo demanda alguns dias, devido os trâmites burocráticos, a Assistência Social entrou em contato pessoalmente com as clínicas e, ao expor a situação emergencial, aceitaram receber os pacientes mediante envio de todo material de higiene, envio de dez cestas básicas mensais, medicamentos para aliviar a necessidade de fumar, medicamentos para estimular o sono, entre outros que sejam necessários para o tratamento", explicou a secretária do Bem-Estar Social, Marcela Alvares.

"O trabalho com pessoas em situação de rua, em especial os dependentes químicos, é difícil no sentido de que em alguns casos eles recusam o atendimento que podemos oferecer dentro das especificações da legislação, entretanto, é nossa obrigação, enquanto Poder Público, disponibilizar esses serviços e isso vem sendo feito com empenho pelos técnicos do Social, pelo Fundo Social e apoio das outras políticas do município e pelo executivo", explicou Marcela.

O prefeito Guilherme Colombo da Silva endossa a fala da secretária e afirma que tudo o que a Prefeitura pode fazer por estas pessoas, está sendo realizado. "Ofertamos o tratamento para os dependentes e assim que estiverem estabelecidos, a Prefeitura apoia com aluguel, alimentação e outros serviços, e até encaminhando para emprego. Não sabemos as razões para estas pessoas estarem em situação de rua, mas a Administração Municipal está sempre atenta e dando toda a ajuda necessária, mas também parte da cada um aceitar ou não esta ajuda", finalizou.